OSOC
Seja Bem Vindo, O Site Oficial do Cavalo, "O Site Equestre do Brasil"
Principal
Cavalos a Venda
Classificados
As Raças
História
Associações
Criadores
Galeria dos Garanhões
Galeria de Videos
Galeria de fotos
Anúcios
Eventos
Negócios
Cursos
Noticias
Pelagens
Aprumo
Casco
Reprodução
Equoterapia
Ciclo de Vida
Fale Conosco
Notícias

 

Hipismo brasileiro fecha participação nos Jogos Pan-Americanos com três medalhas

 

27/07/2015

 

 

 

 

 

A equipe brasileira de Hipismo conquistou três medalhas nos Jogos Pan-Americanos de 2015, realizados em Toronto, no Canadá, entre as disputas por equipe e individual. O time de Adestramento ficou com a medalha de bronze, enquanto o de CCE garantiu a prata e no individual o bronze com o cavaleiro Ruy Fonseca. As competições de Hipismo começaram com o Adestramento, na primeira semana, dia 11, seguida pela disputa do Concurso Completo de Equitação (CCE), dia 17, finalizando com o Salto, que acabou neste sábado (25/07). "O saldo final foi positivo e estamos satisfeitos com os resultados em todas as modalidades. No Adestramento mostramos que estamos nos tornando uma potência nas Américas. No CCE avançamos muito e conquistamos uma medalha histórica, e o resultado do Salto foi dentro do planejado na nossa estratégia para o Pan", contou Luiz Roberto Giugni, presidente da Confederação Brasileira de Hipismo.

Na disputa do Salto, o Brasil ficou com o quarto lugar por equipes. O time formado por Pedro Veniss / Quabri de L`Isle, Marlon Zanotelli / Rock'n Roll Semilly, Felipe Amaral / Premiere Carthoes BZ e Eduardo Menezes / Quintol somou 14 pontos, apenas dois atrás da equipe dos Estados Unidos, que ficou com a medalha de bronze. A prata ficou com a Argentina, com o 8 pontos perdidos, e o ouro com o Canadá, com 7 pontos.

Os quatro cavaleiros do Time Brasil se classificaram para a final individual entre os 35 melhores, mas pelo regulamento cada país só pôde contar com até três representantes. Pedro Veniss foi o melhor brasileiro na final com uma falta na primeira volta e um percurso limpo na segunda passagem, resultado que o garantiu no desempate pela medalha de bronze. Mas com uma falta, o paulista terminou a competição em quinto lugar. Eduardo Menezes e Felipe Amaral também foram para a segunda volta da final e encerraram a participação nos Jogos Pan-Americanos em 9º, com 8 pontos, e 11º lugar, com 12 pontos, respectivamente.

"Não tínhamos a obrigação de conquistar a vaga para os Jogos Olímpicos, como o Canadá e a Argentina, que vieram com tudo, e mesmo que não fôssemos país sede, com o nosso resultado no Mundial ano passado estaríamos garantidos. Então montamos uma equipe com cavaleiros jovens, para testar novos conjuntos, e todos corresponderam completamente a nossa expectativa. Mostraram que podem estar no grupo de elite e isso nos dá mais opções para formarmos um time forte para os Jogos Rio 2016", disse Luiz Roberto Giugni.

No CCE, o Brasil mostrou muita evolução técnica. Ficou com a medalha de prata na disputa por equipe com os conjuntos formados por Carlos Parro/ Calcourt Landline, Henrique Pinheiro / LandQuenote, Márcio Carvalho Jorge / Lissy Mac Mayer - Coronel MCJ. Ruy Fonseca / Tom Bombadill, acompanhados do técnico neozelandês bicampeão olímpico, Mark Todd. O Brasil fechou com 140.70. O ouro ficou com a equipe dos Estados Unidos com 133.00 e o Canadá em terceiro com 163.00. No individual, depois de 20 anos, o Brasil conquistou uma medalha nesta modalidade. Assim como em 1995, com André Giovanini, Ruy Fonseca ficou com o bronze, somando 42.90 pontos. Após liderar a competição durante as primeiras provas, cometeu uma falta no último obstáculo, perdendo então a medalha de ouro para a americana Marilyn Little, que montou RF Scandalous, e fechou a competição com 40.30. A prata ficou com o Canadá, com a amazonas Jessica Phoenix, que fez 42.10. Carlos Parro garantiu a sexta colocação (45.60), Marcio Jorge Carvalho ficou em 9º (52.20), e Henrique Plombon em 11º (55.40).

"O resultado do CCE neste Pan foi muito bom. Ficamos muito perto dos Estados Unidos na disputa por equipe, o que é um bom avanço para o Brasil. A diferença de pontos foi muito pouca. Isso mostra que estamos no caminho certo. Além do bronze na disputa individual depois de 20 anos, o que mostra também que evoluímos muito nos últimos anos" comentou Luiz Roberto.

No Adestramento, a equipe formada por João Victor Marcari Oliva / Xamã dos Pinhais, Sarah Waddell / Quixote Donelly, João Paulo dos Santos / Veleiro do TOP, Leandro Aparecido da Silva / Di Caprio, acompanhada da técnica belga Marriete Withages, faturou o bronze na competição por equipes, com a pontuação geral de 414.895%. Completando o pódio, os Estados Unidos ficaram com o ouro, com 460.506%, e o Canadá com a prata, somando 454.938% na pontuação. Na disputa individual, os brasileiros não subiram ao pódio. O melhor colocado foi o conjunto Leandro da Silva / Di Caprio (73.300%), em 6º lugar, seguido por João Victor Macari Oliva / Xamã dos Pinhais (73.275%), em sétimo. João dos Santos / Veleiro do Top (72.950%), ficou em nono. Sarah Waddell / Quixote Donelly (132.816%) ficou na 25ª posição.


MktMix Assessoria de Comunicação

Jade Fellows - jadefellows@mktmix.com.br
(21) 2223-1258 / (21) 98196-3908

Samantha Leiras - samanthaleiras@mktmix.com.br
(21) 2223-1258 / (21) 98119-8806

PUBLICIDADE:

logoinha
HARAS